Translate

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Quadra Popular:

Quando me ponho a pensar,
Cá com o meu coração,
Não sei como e quando,
Te tomei tanta afeição.
Quadra Popular:

Vou-te pedir um favor,
Que bem o podes fazer,
Vou-te pedir um beijo,
Diz-me lá se pode ser.
Quadra Popular:

Coração tu és tão doce,
Só eu sei saciar,
Quando estiver junto de ti,
Eu só te quero beijar.
Quadra Popular:

Dizem que o azul é feio,
Para mim é linda cor,
Com um olhar te encontrei,
Com um sorriso te amei.
Quadra Popular:

Podem as rochas partir,
Pode o mundo acabar,
Mas o nosso amor,
Há-de sempre continuar.
Quadra Popular:

Eu sofro por te amar,
Não me sinto arrependida,
Eu assim te vou provar,
Que por ti sou pretendida.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Quadra Popular:

Ó meu amor não me esqueças,
Não me esqueças a mim,
Um amor igual ao nosso,
Nunca na vida tem fim.
Quadra Popular:

Ó meu amor se te fores,
Deixa-me o teu sorriso,
Para morrer de saudades,
Pouco tempo é preciso.
Quadra Popular:

Neste mundo em que vivo,
Só há apenas ilusão,
Um mundo de falsidade
E cheio de confusão.
Quadra Popular:

Se tu tens os teus amores,
Não digas que sofres não,
Pois os olhos só indicam,

O que vai no coração.
Quadra Popular:

Tu pensas que eu que perco,
Eu perco por te deixar,
Eu perco quem não me ama,
Tu perdes quem te sabe amar.
Quadra Popular:

Há muita gente na vida,
Que vive como no céu,
Ela diz que está viva,
No entanto nunca viveu.
Quadra Popular:

Estou-me aqui a atrapalhar,
Sem saber o que escrever,
Uma palavra encantadora
E ser feliz até morrer.
Quadra Popular:

Quer ao longe, quer ao perto,
Eu nunca te esquecerei,
Mesmo com o coração aberto,
A mesma amiga serei.
Quadra Popular:

Quando tu passas por mim,
Eu não levanto o olhar,
Mas não quer dizer com isso,
Que eu deixei de te amar.
Quadra Popular:

Este amor chegou ao fim,
Foi grande a desilusão.
Nunca mais quero amores,
Para não sofrer mais não.
Quadra Popular:

O amor é uma flor,
Que nasce sem ser plantado,
Por isso aquele que ama,
Deve ser também amado.
Quadra Popular:

Quando eu não te amava,
Via-te sempre sem querer,
Agora que eu te amo,
Passo os dias sem te ver.
Quadra Popular:

Foi na areia molhada,
Que esta carta escrevi,
Tu amas a quem te odeia,
E eu sofro tanto por ti.
Quadra Popular:

Triste de quem não tem amor,
Triste de quem os não pode ter,
É chorar a noite inteira,
Até ao amanhecer.
Quadra Popular:

Os teus olhos são azuis,
Azuis de cor do mar,
Quando um dia os vi,
Logo pensei em te amar.
Quadra Popular:

Os dias da minha vida,
Só tu os deves saber,
Tenho tantas saudades tuas
Sem ti eu não sei viver.
Quadra Popular:

Eu quero-te tanto a ti,
Como quero à luz do dia,
Quando me zango contigo,
Já não sinto alegria.
Quadra Popular:

Amizade, amor e paixão,
Igual a mim nunca vi,
Não sei qual a razão,
Para gostar tanto de ti.
Quadra Popular:

Eu nasci para amar,
E nunca para sofrer,
Quando estou à tua beira,
Fico sempre a tremer.
Quadra Popular:

Passas-te e não falas-te,
Respeito guardas a alguém,
Podes passar e falar,
E respeitar quem te quer bem.
Quadra Popular:

O meu coração é teu,
Também a sua morada,
Se alguém quiser lá entrar,
Encontrará a porta fechada.
Quadra Popular:

Vinho que vai para vinagre,
Não retrocede o caminho,
Só por obra de milagre,
Volta de novo a ser vinho.
Quadra Popular:

Chamaste-me bexigosa,
Deus quis assim eu tê-las,
Não há coisa mais bonita,
Do que o céu com as estrelas.
Quadra Popular:

Chamaste-me bexigosa,
Tu que nada tens se não,
Cara lisa não é nada,
Pincelada tem feição.
Quadra Popular:

Jesus pregado na cruz,
Falou bem alto aos ladrões.
Despregai-me a mão direita,
Quero puxar os calções.
Quadra Popular:

Tu dizes que não me queres,
Diz-me a razão porquê,
Não me queres por ser pobre,
Grande riqueza tem você!
Quadra Popular:

Vou cantar uma cantiga,
Não quero ser descortês,
Vou a fazer à vontade,
A quem sempre a mim ma fez.
Quadra Popular:

Eu gosto muito de ouvir,
Cantar a quem aprendeu,
Se houvera quem me ensinara,
Quem aprendia era eu.
Quadra Popular:

Chamaste-me Mira Mira,
Eu não sou de Mirandela,
Moro na rua da Graça,
Salsas era minha terra.
Quadra Popular:

No alto daquela serra,
Esta um pinheiro a gemer,
Coração que tanto sofre,
Grande sofrimento deve ter.
Quadra Popular:

Ó carvalho da Portela
Porque não dás coisa boa?
Cada um dá do que tem,
Conforme a sua pessoa.
Quadra Popular:

Assim como as andorinhas,
Nasceram para voar,
Também eu minha querida,
Nasci para te amar.
Quadra Popular:

Tenho na minha algibeira,
Semente de manjerona,
Diga-me lá ó menina,
Onde quer que a desponha.
Quadra Popular:

Eu dou-me bem por feliz,
Por ter tanto na mão,
Deite a minha palavra de honra,
E mais o meu coração.
Quadra Popular:

Quando às vezes considero,
Abre-se o céu e treme o chão,
Só em saber que tenho,
Segredos na tua mão.
Quadra Popular:

Altas torres tem seu peito,
Forradas de primavera,
Foram uns alicerces falsos,
Eu fui a primeira pedra.
Quadra Popular:

Maria se escreve com M,
Coração, coração com um C,
Lealdade, lealdade com um L,
Gratidão, gratidão com um G.
Quadra Popular:

Com que letra se escreve Maria,
Com que letra se escreve coração,
Com que letra se escreve lealdade,
Com que letra se escreve gratidão.
Quadra Popular:

Eu bem sei o que significa,
A tinta no papel branco,
Significa o bem que te quero,
Nunca eu te quisera tanto.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Vai ver o meu amorzinho,
És fechada com um abraço,
És aberta com um beijinho.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Quadra Popular:

Vai-te carta mal notada,
Foi triste quem te notou,
Com lágrimas foi escrita,
Com suspiros se fechou.
Quadra Popular:

O correio é uma ilusão,
O correio só faz sofrer,
Estou à espera do correio,
Para cartas não trazer.
Quadra Popular:

Amor se me eu for embora,
Tu não fiques a chorar,
Os correios vão e vêm,
Para cartas te mandar.
Quadra Popular:

Dizem que o preto, que é feio,
Para mim é linda cor,
É da cor com que eu escrevo,
As cartas ao meu amor.
Quadra Popular:

O papel com que te escrevo,
Saiu-me da palma da mão,
A tinta saiu-me dos olhos,
E a pena do coração.
Quadra Popular:

Lá te mando esta carta,
Foi escrita por minha mão,
Tem pena de mim amor,
E dó do meu coração.
Quadra Popular:

Nas asas de um passarinho,
Feliz carta vai voando,
Vai ver o meu amorzinho,

Que por ti está esperando.
Quadra Popular:

Esta carta que te mando,
Declina sentimento,
Eu também sentido estou,
Com o nosso afastamento.
Quadra Popular:

Lá te mando esta carta,

Com toda a satisfação,
Por não te poder mandar,
Meus olhos meu coração.
Quadra Popular:

Carta quando lá chegares,
Abre-te e fala cortês,
Canta se lágrimas vires,
Nos olhos de quem te fez.
Quadra Popular:

Saudoso espero resposta,
Foi escrita por minha mão,
A tinta saiu-me dos olhos,
E a pena do coração.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Lindos olhos tu vais ver,
Quem souber a dita sorte
Que tu carta vais a ter.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Vai bater aquela sala,
Se não te abrirem a porta,
Abre-te carta e fala.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Por esse mundo sem fim,
Vai dizer ao meu amor,
Se ainda gosta de mim.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Vai ver o meu amorzinho,
Ajoelha-te e faz a vénia,
Dá-lhe por mim um beijinho.
Quadra Popular:

Vai-te carta, vai-te carta,
Nas asas de um passarinho,
Vai ver o meu amor,
Dá-lhe por mim um beijinho.
Quadra Popular:

Queres saber onde eu moro?
Eu bem sei que tu queres,
Moro na rua das latas,
Onde se fazem colheres.
Quadra Popular:

Se queres saber onde eu moro,
Dou-te a minha direcção,
Moro na rua dos anjos,
Travessa do coração.
Quadra Popular:

Se queres saber quem eu sou,
Isso também eu queria,
Sou neto da minha avó,
Sobrinho da minha tia.
Quadra Popular:

Se queres saber quem eu sou,
Vai ao Registo Civil,
Começo por tal e tal,
E acabo em til e til.
Quadra Popular:

Dia primeiro de Abril,
Dia tão enganador,
Chegou a ocasião,
De enganar o meu amor.
Quadra Popular:

Lá te mando uma carta
Sem nenhuma letra dentro,
Que te vai fazer dar,
Voltinhas ao pensamento.
Quadra Popular:

Se tivesse papel de ouro,
Mercava pena de prata,
Com a tinta dos meus olhos,
Escrevia-te uma carta.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Quadra Popular:

Se tivesse papel de ouro,
Mercava pena de prata,
Apurava o meu sentido,
E escrevia-te uma carta.
Quadra Popular:

Estas meninas de agora,
Só pensam no amor,
De manhã quando acordam,
Até beijam o cobertor.
Quadra Popular:

Tenho uma camisa nova,
Feita de pano de linho,
Está rota meu amor está rota,
Está rota no colarinho.
Quadra Popular:

Ó meu amor se quiseres
Vestir camisa lavada,
Paga à tua lavadeira,
Que eu não sou tua criada.
Quadra Popular:

Chamaste-me bexigosa,
Que te importa meus sinais,
Nunca vi céu sem estrelas,
Nem altar sem castiçais.
Quadra Popular:

Andas morta para saberes,
Onde eu passo os meus serões,
Nas lojas das vendedeiras,
Encostado aos balcões.
Quadra Popular:

Tenho uma cama de penas,
Por cima coberta de ais,
Travesseiro de suspiros,

E os lençóis de mortais.
Quadra Popular:

Não à flor como o suspiro,
Cá para a minha aceitação,
Todas as flores se vendem,
Só os suspiros se dão.
Quadra Popular:

Lágrimas caiem dos olhos,
Suspiros do coração,
Mágoas que trago comigo,
Já mais se apagaram.
Quadra Popular:

Não chores amor não chores,
Que o chorar derrama a vista,
Não há-se faltar tempo,
Em que o amor não te assista.
Quadra Popular:

O meu coração fechou-se
Em duzentas gavetinhas,
Abre-se com saudades,
E fecha-se com palavrinhas.
Quadra Popular:

Eu bem sei que te estas rindo,
Do meu juízo que é pouco,
Qualquer pessoa de bem,
Tem sua veia de louco.
Quadra Popular:

Deixa-te estar pêra rocha,
Em cima dessa pereira,
Se te deixas abanar,
Depois não tens quem te queira.
Quadra Popular:

Tua nadas atrás de mim,
Como a pêra atrás do ramo,
Tu andas para me enganar,
Contigo fica o engano.
Quadra Popular:

A Jesmim caiu do céu,
Desfolhou-se no Outono,
Ai de mim que estou falando,
Com um amor que já tem dono.
Quadra Popular:

Com amor, amor se paga,
O amor tem alto preço,
Na margem esquerda se lê,
A coisa que mais te peço.
Quadra Popular:

Já dormi na tua cama,
Já te apalpei os joelhos,
Pudera te ter capado,
Que eu cá tinha os aparelhos.
Quadra Popular:

Já dormi na tua cama,
Já o teu rosto beijei,
Já logrei os teus carinhos,
Mais coisinhas que eu cá sei.
Quadra Popular:

Quem me dera ser um cigarro,
Na boca do fumador,
Para a toda a hora beijar,
A boca do meu amor.
Quadra Popular:

Andam para ai a dizer,
Que o Ferreirinha morreu,
Não acreditem é mentira,
O Ferreirinha sou eu.
Quadra Popular:

Cada Santo tem seu dia,
E S. João dos mais espertos,
Escolheu para ele um dia,
A sonhar de olhos abertos.
Quadra Popular:

Antoninho lindo nome,
Lindo Espelho de vestir,
Quem tem amores com Antonios,
Vaia o céu e torna a vir.
Quadra Popular:

Todos os Antónios são Santos,
Só o meu é pecador,
Só a mim me havia de calhar,
António ser o meu amor.
Quadra Popular:

S. Pedro perdeu as calças,
Indo da terra para o céu,
Quem lhas achar que lhas dê,
Para não andar com o cu ao léu.
Quadra Popular:

O anel que tu me deste,
Para o bazar de S.Pedro,
Eu queria namorar,
Contigo muito em segredo.
Quadra Popular:

Assobia ao acipestre,
Em busca do meu anel,
Estes rapazes de agora
Todos usam arganel.
Quadra Popular:

Assobia ao acipestre,
Em busca do meu cordão,
Estes rapazes de agora,
Todos vestem albardão.
Quadra Popular:

Ó acipestre dos vales
Arrumo dos passarinhos
Quem namora às escondidas,
Quer abraços e beijinhos.
Quadra Popular:

Não há coisa mais triste,
Do que uma casa sem flores,
Uma gaiola sem pássaros,
E um coração sem amores.
Quadra Popular:

Chamas-te à minha cara,
Gaiolas dos passarinhos,
Eu chamo à tua boca,
Gaiola dos meus beijinhos.
Quadra Popular:

Dizem que o mel é doce,
Para mim não tem paladar,
Sinto a doçura do mel,
Quando te estou a beijar.
Quadra Popular:

A tua cara é linda,
Linda cara de paixão,
Tenho visto caras lindas,
Mas como a tua não.
Quadra Popular:

Tu chamaste-me criança,
Criança eu sei que sou,
Tu bem sabes meu menino,
Que esta criança te amou.
Quadra Popular:

Pensavas por me deixares,
Que eu de pena morreria,
Vai-se um amor e vem outro,
Vivo com a mesma alegria.
Quadra Popular:

Ó alegria do mundo,
Tu por onde tens andado,
Tenho corrido bem terras,
E não te tenho encontrado.
Quadra Popular:

Diga-me lá ó amigo,
Por onde é que tem andado,
Que até aos bichos do monte,
Por si tenho procurado.
Quadra Popular:

Arrulha a pomba, arrulha a pomba,
Arrulha a pomba no rolhador,
Todos têm só eu não tenho,
Nesta terra o meu amor.
Quadra Popular:

No alto da comieira,
Canta alegre a cotovia,
No freixial da ribeira,
Canta o melro noite e dia.
Quadra Popular:

Caia bem essa parede,
Dá-lhe mais outro de mão,
Mas tem cuidado não caia,
Alguma gotinha no chão.
Quadra Popular:

Põe-se o sol às nove e meia,
Lá no mês de S.João.
Às cinco e meia rompe o dia,
Logo chega o clarão.
Quadra Popular:

Fui com o rebanho para o campo,
Pus o pé no feto bravo,
Tira de mim o sentido,
Que eu em ti à muito não trago.
Quadra Popular:

O meu amor é pastor,
O seu nome é Joáo,
De dia guarda o rebanho,
E à noite o meu coração.
Quadra Popular:

Estou aqui neste terreiro,
O orvalho a cair,
Por mais que o orvalho caia,

Do terreiro não me hei-de
Quadra Popular:

Adeus que em vou embora,
Adeus que me quero ir,
Dá-me cá esses teus braços,
Que em quero despedir.
Quadra Popular:

Os rapazes desta terra,
Aonde estão metidos,
Ouviram falar na guerra,
No monte estão escondidos.
Quadra Popular:

Vou-me embora de Nuzedo,
Mas não me hei-de despedir.
Para ninguém ficara a chorar,
E ninguém se alegre por me ir.
Quadra Popular:

Adeus povo de Nuzedo,
Cercado de pinheirais,
Se os moços são bonitos,
As moças são muito mais
.
Quadra Popular:

Adeus povo de Nuzedo,
Adeus fonte de água fria.
Onde eu ia beber,
A toda a hora do dia.
Quadra Popular:

Hei-de-te cercar Nuzedo,
Com uma fita de algodão.
há porta do meu amor,
Vou prender meu coração.
Quadra Popular:

Lindo povo de Nuzedo,
Minha terra natal,
Berço da minha tristeza,
Cama de todo o meu mal.
Quadra Popular:

Vou-me casar a Nuzedo,
Que é terra de muito pão,
Sobem os galos à mesa,
Batem com o rabo no chão.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Quadra Popular:

Quando passei por Nuzedo,
Veio tudo à janela,
Parece que nunca virão,
Gente de fora da terra.
Quadra Popular:

Daqui para a minha terra,
Tudo é caminho chão,
Tudo são cravos e rosas,
Plantados por minha mão.
Quadra Popular:

Minha terra minha terra,
Minha terra e eu aqui,
Os anjos do céu me levem,
Á terra onde nasci.
Quadra Popular:

Ó água que assim vais turva,
Quando há-des aclarar,
Ó mundo que não me deixas,
Quando me queres deixar?
Quadra Popular:

Ó rio não levas água,
Deixas a areia descoberta,
Vai-se um amor e vem outro,
Nunca vi coisa mais certa.
Quadra Popular:

Lá vai o rio fugindo,
Ó quem mo dera agarrar,
O amor é como um rio,
Foge e não torna a voltar.
Quadra Popular:

Lavadeira do rio triste,
Vem lavar ao rio alegre,
A agua do nosso rio,
Deixa a roupa como a neve.
Quadra Popular:

Quando te disse adeus Porto,
Das varandas do navio,
Eram as lágrimas tantas,
Sem chover crescia o rio.
Quadra Popular:

Eu não sei que fiz ao Porto,
Que tanto chora por mim,
Quero ir viver ao Porto,
Á rua do jardim.
Quadra Popular:

Cantai passarinhos cantai,
Nos ramos dependurados,
Cantai que eu agora choro,
Dos meus dias desgraçados.
Quadra Popular:

Fui eu a que bati palmas,
Nas palmeiras do deserto,
Fui eu a que trouxe amores,
Nove meses encobertos.
Quadra Popular:

Trago dentro do meu peito,
Um cravo branco aberto,
Regala-te de o vê-lo,
Que logra-lo não é certo.
Quadra Popular:

Indo-me eu por aí a baixo,
Aos saltinhos como a lebre,
Acautelesse ó menina,
Do rapaz que anda alegre.
Quadra Popular:

Encontrei o meu amor,
Na praça a vender morangos,
Deitava de contra peso,
O coração de nós ambos.
Quadra Popular:

Que lindo botão de rosa,

Aquela roseira tem,
De baixo ninguém lhe chega,
Acima não vai ninguém.
Quadra Popular:

Tua mãe é uma roseira,
Que o teu pai escolheu,
Tu és um botão de rosa,
Que essa roseira deu.
Quadra Popular:

Não namores o mecânico,
Porque cheira a gasolina,
Namora antes um doutor,
Porque usa pasta fina.
Quadra Popular:

Comecei com sete anos,
Na escola a estudar,
Nos teus lábios aprendi
A conjugar o verbo amar
.
Quadra Popular:

Comecei com sete anos,
Os livros a folhear,
Agora tenho dezoito,
E continuo a estudar.
Quadra Popular:

Vou chumbar a português,
Vou ter um grande desgosto,
Por não saber que o verbo amar,
É simples ou composto.
Quadra Popular:

A paixão de estudantes,
É meia amalucada,
Eu e tu no manicómio,
Era o fim da macacada.
Quadra Popular:

O amor de um estudante,
É como o latim africano,
Varia no dia-a-dia,
Nunca chega ao fim do ano.
Quadra Popular:

Dizes que o estudante é parvo,
Mais parvo é quem lho chama,
Diz-me lá ó minha parva,
Se não é mais parvo quem tu amas.
Quadra Popular:

Gama é um gatinho,
Que está sempre a miar,
Sape gato, vai-te embora,
Deixa a menina estudar.
Quadra Popular:

A lua é muito bela,
As estrelas são belas também,
Estuda, estuda rapazinho,
Verás como ficas bem.
Quadra Popular:

O amor de um estudante,
É caldo verde picado,
Ao chegar aos ouvidos dos pais,
Temos o caldo entornado.
Quadra Popular:

Quem namora estudantes,
Faz dois pecados mortais,
Rouba-lhe o tempo a eles,
E o dinheiro aos pais.
Quadra Popular:

A vida de um estudante,
È uma vida de luto,
Se estuda não namora,
Se namora não estuda puto.
Quadra Popular:

A vida de um estudante,
É uma vida amargurada,
Se estuda não namora
Se namora não estuda nada.
Quadra Popular:

O amor de um estudante,
Não dura mais que uma hora,
Tocam os sinos vão para a aula.
Vêm as férias vai-se embora.
Quadra Popular:

O amor de um estudante,
Não dura mais que uma hora,
Só o meu é tão velhinho,
Ainda se não foi embora.
Quadra Popular:

Se esta rua fosse minha,
Como é dos estudantes,
Mandava-lhe por no meio
Um jardim de diamantes.
Quadra Popular:

Ser calhau não é fixe,
Se maluca também não.
O que é fixe na vida,
É curtir a curtição.
Quadra Popular:

Bem puderas dizer sim,
Mas não tiveste coragem,
Se continuas assim,
Não chegas à outra margem.
Quadra Popular:

Meu amor pede a Deus,
Que eu peço às almas santas,
Que nos juntemos um dia,
Já que as saudades são tantas.
Quadra Popular:

A sagrada escritura,
Tem palavras em latim,
És o moço mais simpático,
Que Deus criou para mim.
Quadra Popular:

Naquela ilha distante,
Há outra ilha de amor,
Luciano e a Cristina,
Luciano conquistador.
Quadra Popular:

Venho da praia do ouro,
Da ilha dos diamantes,
Trago o coração doente,
Pelos teus olhos brilhantes.
Quadra Popular:

Quando olho em meu redor,
Tudo vejo verdejar,
Só a luz dos teus olhos,
Eu não consigo alcançar.
Quadra Popular:

Os teus olhos são tão lindos,
Ao teu pai lhos fui pedir,
O teu pai não mos quis dar,
Contigo hei-de eu fugir.
Quadra Popular:

Teus olhos contas escuras,
São duas ave-marias,
Um rosário de amarguras,
Que eu rezo todos os dias.
Quadra Popular:

Gosto muito dos teus olhos,
Muito mais gosto dos meus,
Se não fossem os meus olhos,
Não podia ver os teus.
Quadra Popular:

Os meus olhos já não têm,
O brilho de antigamente.
Os meus olhos andam cegos,
Cegaram por ti somente.
Quadra Popular:

Por teus olhos negros, negros,
Trago eu negro o coração,
De tanto pedir-lhe amor,
E eles a dizer que não.
Quadra Popular:

Olhos pretos, olhos brancos,
Olhos azuis, olhos verdes,
São as quatro castas de olhos,
Que em poucas caras os vedes.
Quadra Popular:

Tens dois olhinhos na cara,
Brilhantes como alfinetes,
Abertos são duas rosas,
Fechados dois ramalhetes.
Quadra Popular:

Tendes os olhinhos pretos,
Como a seda de cozer,
Se nascemos um para o outro
O que havemos de fazer.
Quadra Popular:

Tendes os olhinhos pretos,
Como a vaga da nigela,
Se não fosses tão bonita,
Mal aja quem os fizera.
Quadra Popular:

Para que chorais tristes olhos,
Para que em dais tanta pena,
Para que vos estais lembrando,
De quem de vós não se lembra.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Quadra Popular:

Lindos olhos tem menina,
Ó que fagueirinhos são,
Logo à primeira vista,
Prenderam meu coração.
Quadra Popular:

Quando os lábios não se tocam
Momento da partida,
São sempre os olhos que trocam
O beijo da despedida.
Quadra Popular:

Não me namora o teu lenço,
Nem o brinco das orelhas,
Namora-me o teu olhar,
Por baixo das sobrancelhas.
Quadra Popular:

Eu a querer-te e a estimar-te,
Tua a fugires de mim,
Deus por deia um castigo
Uma pena sem ter fim.
Quadra Popular:

Se eu soubera quem tu eras,
Ou te amaria ou não,
Agora não há remédio,
Padece meu coração.
Quadra Popular:

O meu amor coitadinho,
Anda de costas viradas,
Eu não lhe viro as costas,
Mas nego-lhe as minhas falas.
Quadra Popular:

Ó silva prendidassa,
Que aprende pelas lavradas,
Também tu minha menina,
Me prendeste com tuas falas.
Quadra Popular:

Ó silva prendidassa,
Que nasce e aprende no chão,
Quem me dera ó menina,
Prender-me ao teu coração.
Quadra Popular:

Ó silva prendidassa,
Que nasce pelos caminhos,
Dá amoras para quem lá passa,
E também para os passarinhos.
Quadra Popular:

Ó silva prendidassa,
Que aprende pelas paredes,
Também tu minha menina,
Me prendes quando me vedes.
Quadra Popular:

Ó silva prendidassa,
Que aprende pelas montanhas,
Também tu minha menina,
Me prendeste pelas entranhas.
Quadra Popular:

Vivo triste como a silva,
Verdinha da mesma cor,
Só se me vê a alegria,
Quando a silva deita a flor.
Quadra Popular:

Há silvas que dão amoras,
Há outras que não as dão,
Há homens que são firmes
E há outros que não o são.
Quadra Popular:

Há silvas que dão amoras,
Há outras que não dão nada,
Há homens que são firmes,
Outros que não têm palavra.
Quadra Popular:

Plantei a silva verde,
Juntinho do meu jardim,
O amor que é firme,
É firme até ao fim.
Quadra Popular:

Plantei a minha silva,
Juntinho ao meu craveiro,
Não há amoras como as da silva,
Nem amor como o primeiro.
Quadra Popular:

Uma silva me prendeu,
Quando as amoras lhe colhi,
Também tu me prendes,
Quando estou ao pé de ti.
Quadra Popular:

A silva que me prendeu,
Saiu daquela janela,
Ela de falsa quebrou,
Quem é falsa logo quebra.
Quadra Popular:

Quem ama não cuida,
O que virá acontecer
Pensa que tudo são rosas,
Que no jardim vai colher.
Quadra Popular:

Comparar o amor à rosa,
É fraca comparação,
A rosa nasce da terra,
O amor do coração.
Quadra Popular:

Se eu te quisera tanto,
Como tu me queres a mim,
Era um querer tanto,
Nunca mais teria fim.
Quadra Popular:

Coitadinho de quem tem,
Seus amores em segredo,
Passar por eles na rua,
Não falar porque tem medo.
Quadra Popular:

Ninguém se finte nos homens,
Nem que eles estejam a chorar,
As lágrima as que eles choram,
São o troco que eles vos vão dar.
Quadra Popular:

Ninguém se finte nos homens,
Nem no seu darei darei,
Depois de farem o frete,
Menina já lhe paguei.
Quadra Popular:

Menina não se namore,
Do rapaz da camisola,
Ele não é cá da terra,
Faz o frete e vai-se embora.
Quadra Popular:

Menina não se namore,
De ouro nem de formosura
Que tudo vai acabar,
Numa triste sepultura.
Quadra Popular:

Os olhos da minha sogra
São duas batatas fritas,
Quando olho para ela,
Até me arrebentam a s tripas.
Quadra Popular:

O sogro morreu ontem,
Enterrei-o num caixote,
Deixei-lhe a gaita de fora,
Quem quiser tocar que toque.
Quadra Popular:

A caminho do nordeste
Anda tudo aos trambolhões
Uma carroça sem rodas
E um cavalo sem travões.
Quadra Popular:

Ao passar à tua porta
Cheirou-me a bacalhau frito,
Espreitei pela fechadura,
Estavas a comer cabrito.
Quadra Popular:

Ao passar à tua porta
Cheirou-me a milho torrado,
Espreitei pela fechadura,
Comias leitão assado.
Quadra Popular:

Ao passar à tua porta
Cheirou-me a bacalhau cru,
Espreitei pela fechadura,
Estavas a comer peru.
Quadra Popular:

Tu não viste o que eu vi,
Á porta do tribunal,
Vi as cuecas do juiz
Embrulhadas num jornal.
Quadra Popular:

Sou do Minho, sou do Minho,
Sou do Minho natural,
Quem não conhece o Minho,
Não conhece Portugal.
Quadra Popular:

Semeie no meu quintal
Os cacos de uma caneca,
Nasceu um velho marreta
A tocar numa rabeca.
Quadra Popular:

Olha o grelo, olha o grelo
Olha o grelo do quintal,
Eu não quero mais grelinhos,
Que me podem fazer mal.
Quadra Popular:

Quatro bois, quatro vacas,
Levam o carro costa acima,
Não há moço nesta terra,
Que quatro vezes o diga.
Quadra Popular:

Quatro coisas são precisas,
Para saber namorar,
Olho aberto, pé ligeiro,
Ouvir e saber falar.
Quadra Popular:

A mulher para ser minha,
Tem de ter a perna baixa,
Da barriga redondinha,
Para levar com o pau na caixa.
Quadra Popular:

A mulher para ser mulher,
Tem de ter sete amores,
Dois casados, dois solteiros,
Um padre e dois doutores.
Quadra Popular:

Cantai, bailai raparigas,
Até o sapato romper,
O sapateiro é pobre,
Ajudai-o a viver.
Quadra Popular:

O dia em que me eu casar,
Hei-de dar um bailarico,
Até debaixo da cama
Há-de bailar o penico.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Quadra Popular:

O fandango de uma velha,
Fez-me doer a barriga,
Eu não quero mais fandangos,
Se não de uma rapariga.
Quadra Popular:

O fandango de uma velha,
Fez-me doer a barriga,
Eu não quero mais fandangos,
Se não de uma rapariga.
Quadra Popular:

Tenho uma prima carnal,
Que namora o meu amor,
Namora prima namora,
Faz-me lá esse favor.
Quadra Popular:

Canta comigo priminha,
Que o nosso cantar graça tem,
Quanta gente tem inveja,
Por nós nos querermos bem.
Quadra Popular:

Muito se querem dois primos,
Se forem primos carnais,
Se forem primos segundos,
Já os disfarces são mais.
Quadra Popular:

Ó meu amor se te fores,
Leva-me na tua mala,
Eu sou como a primavera,
Onde quera vou fechada.
Quadra Popular:

Ó meu amor se te fores,
Leva-me na tua ida,
Eu sou como a primavera,
Onde quera vou metida.
Quadra Popular:

Meu lencinho de cambraia,
Bordado aos ramalhões,
Em cada ponta seu cravo,
No meu dois corações.
Quadra Popular:

Meu lencinho de cambraia,
Estendidinho na barrela,
Em cada ponta um cravo,
No meio a primavera.
Quadra Popular:

Menina do lenço preto,
Diga-me quem lhe morreu,
Se foi o seu namorado,
Para o lugar dele estou eu.
Quadra Popular:

Trago o coração de luto,
Ó mais ninguém lhe morreu,
Bem de luto pode andar,
Quem o seu amor perdeu.
Quadra Popular:

Tenho na minha janela,
Tulipas até ao chão,
O dia que te não vejo,
Muitas facadas me dão.
Quadra Popular:

Gostava de ser sábio,
Entrar no teu interior,
Para te poder dizer,
Se era grande o teu amor.
Quadra Popular:

Tenho dentro do meu peito,
Um copinho licor,
Quando o coração tem sede,
Diz o copo, bebe amor.
Quadra Popular:

Tenho dentro do meu peito,
Duas escadas de vidro,
Por uma descem as penas,
Por outra sobem alívios.
Quadra Popular:

Tenho dentro do meu peito,
Duas escadas de flores,
Por uma descem as penas,
Por outra sobem amores.
Quadra Popular:

Tantos ais tantos suspiros,
Tantas alucinações,
São os manjares de amores,
Em certas ocasiões.
Quadra Popular:

Dava-te o meu coração,
Se não estivesse agarrado ao forro,
Assim não to posso dar,
Se o arranco sei que morro.
Quadra Popular:

De manhã eu sinto frio,
Á tarde sinto calor,
Dá-me cá o teu abraço,
Vira-te para mim amor.
Quadra Popular:

Se o amor se vai embora,
Não vale a pena chorar,
A melhor coisa a fazer,
É por outro sem em lugar.
Quadra Popular:

Ainda que o lume se apague,
Na cinza fica o calor,
Ainda que o amor se ausente,
No coração fica a dor.
Quadra Popular:

O marmeleiro é triste,
Alegre quando tem flor,
Julgo que é tempo perdido,
Prevenir quem tem amor.
Quadra Popular:

Aí Jesus que assim se embana,
A folha daquela vinha,
Gostava de ser par Deus,
Como tu hás-de ser minha.
Quadra Popular:

A parreira tem mil uvas,
A uva tem mil baguinhos,
Menina que há-de ser minha
Não ande com segredinhos
.
Quadra Popular:

Tendes parreirais à porta,
Tendes sombra regalada,
Tendes fama de bonita
E de feia não tendes nada.
Quadra Popular:

Não te encoste à parreira,
Que a parreira está vendida,
Encosta-te a mim amor,
Sou teu para toda a vida.
Quadra Popular:

Não te encoste à parreira,
Que a parreira deita pó,
Encosta-te ao meu peitinho
Sou solteiro vivo só.
Quadra Popular:

Sete anos servi como amo,
Sete anos e mais um mês,
Todo o trabalho que lhe eu fiz,
Nenhum criado lho fez.
Quadra Popular:

Quatro coisas quer o amo,
Ao criado que o serve,
Deitar tarde e levantar cedo,
Comer pouco e andar alegre.
Quadra Popular:

Toda a vida fui pastor,
Toda a vida guardei gado,
Trago uma nódoa no peito,
De me encostar ao cajado.