quinta-feira, 7 de maio de 2015

Após de um longo trabalho nasceu finalmente o CD do Grupo Cantares de Antanho, aqui ficam algumas fotografias do exemplar:





segunda-feira, 27 de abril de 2015

Alargamento do Território Português

Afonso Henriques defendia,
Seu condado, seu tesouro,
Pensou alargar o seu espaço,
Para além do rio Douro.

Para além do rio Douro,
Começou terras a conquistar.
Defendendo o seu tesouro,
E o espaço a alargar.

Afonso Henriques temível,
Dos mouros não tinha medo.
Alargou o seu território,
Para além do rio Mondego.

Caminhava para Sul,
Ninguém o conseguia travar,
Passou Leiria e em Ourique,
Foi forte o batalhar.

Guimarães foi capital,
Afonso Henriques, ai morou,
Para conquistar Leiria,
Para Coimbra se mudou.

O tratado de Zamora,
Em mil, cento e quarenta e três
Reconhece a independência,
Do reino português.

Em mil cento e quarenta e três,
Como reza a tradição,
Foi condecorado rei,
E chefe desta Nação.

Afonso Henriques era cristão,
Cristão eram os seus cavaleiros,
Muitas terras e riquezas,
Deu a igrejas e mosteiros.

Em mil cento e setenta e nove,
O papa Alexandre terceiro,
Reconheceu então,
Portugal como reino.

A bula manifestis provatus,
Um documento papal,
Reconhecia então
O reino de Portugal.

Afonso Henriques, foi
Homem culto, rei lutador,
Por conquistar terras aos mouros,
Ficou o conquistador.

Os homens de Afonso Henriques,
Usavam a táctica do assalto,
Para defenderem o espaço,
Erguiam castelos altos.

Não quis parar por aqui,
Afonso quis ir mais além.
Em mil cento e quarenta e sete,
Conquista Lisboa e Santarém.

Lisboa estava com os Mouros,
Quem havia de derrotar?
Foi El rei D.Afonso Henriques,
E os cruzados a ajudar.

Os mouros ele derrotou,
Com a ajuda dos cruzados,
Ingleses e normandos,
Que no Tejo estavam armados.

Lisboa esteve cercada,
Durante três meses e tal,
Os mouros pediram tréguas,
Lisboa ficou a capital.

O Tejo corria largo,
As ondas sempre a bater,
Mas os homens de Afonso Henriques,
Souberam esses perigos vencer.

Chegados à outra margem,
Abriu-se nova janela,
Em pouco tempo conquistaram,
Setúbal, Almada e Palmela.

Houve avanços e recuos,
Para conquistar terras,
Entre mouros e cristãos,
Houve batalhas e guerras.

Houve avanços e recuos,
Ninguém queria temer,
Muitas terras conquistavam,
Para voltar a perder.

O rei Afonso Henriques,
Tinha a anciã de conquistar,
Pensava expulsar os mouros,
Para terras além do mar.

Os mouros ele derrotou,
Vitória após vitória.
A Afonso Henriques se deve,
Pedaços da nossa história.

Em mil cento, e oitenta e cinco,
Morreu o nosso rei primeiro,
Sucedeu-lhe seu filho Sancho,
Por ser legitimo herdeiro.

Ferreira Augusto

quarta-feira, 8 de abril de 2015

quinta-feira, 26 de março de 2015

O Romance do Gerinaldo

 

terça-feira, 3 de março de 2015

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Alegre Moleirinha

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

História da Expansão Portuguesa 2ªparte: